fotos - Página Perfil

Regina

foto_perfil

 

pianista, cravista, professora, palestrante e produtora cultural.

Começou seus estudos de piano no Conservatório em Lins, com D. Maria de Lourdes Morotti e formou-se pelo antigo Conservatório Musical de Ribeirão Preto (atual Faculdade de Música da Unaerp).

Também estudou piano com o prof. Antonio Munhoz, em São Carlos, durante um período que considera a grande experiência musical de sua adolescência.

Bacharelou-se em Ciências Sociais na USP.

Estudou Música em São Paulo na Pró-Arte Seminários de Música, com os professores Roberto Schnorrenberg e Damiano Cozzella.

Teve como professores de piano José Kliass, Henri Jolles, Isabel Mourão, Gilberto Tinetti e como professores de cravo, Helena Jank, Gertrude Mersiovsky, Roberto de Regina.

Recebeu Bolsa de Estudos da Casa do Brasil na Inglaterra para estudar com o pianista e cravista Stanislav Heller.

Estudou com a cravista Hughette Dreyfus na França, em Sylvanès e Villecroze, com bolsa para estudos da Fondation Les Treilles.

Fez Mestrado em Música, pela ECA/USP (Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo), tendo como tema de dissertação “A Chegada do Piano no Rio de Janeiro”.

Participou de vários cursos relacionados à Música, como Pedagogia Musical, Musicoterapia e Dinâmicas de Grupo.

Participa em inúmeros recitais beneficentes, em igrejas de todos os credos, escolas, asilos, hospitais.


CRÍTICAS

Sobre o LP “Brasil, Álbum de Sons e Formas”
“Sua interpretação jamais abre mão da naturalidade pianística. Enfim uma intérprete versátil, dotada de sensibilidade requintada e bom gosto.“
Luís Roberto Trench, ”O Dia“

”O longo contato, diante de público, com este repertório, é responsável pela naturalidade e limpidez com que o executa. (…) E é especialmente feliz ao interpretar a peça de Gallet ou o apaixonado ’Ponteio n. 49’ de Camargo Guarnieri.”
Lauro Machado Coelho, “O Estado de S. Paulo”

Sobre o CD “Um Cravo Bem Variado I”
“Como bem sublinha o título de seu CD, ”Um Cravo Bem Variado”, a intérprete extrai sons de qualidade ímpar para os compositores escolhidos, com rara sensibilidade.“
Revista “VivaMúsica“

Sobre o CD “Um Cravo Bem Variado II”
“Regina Schlochauer é das mais respeitadas intérpretes de cravo no Brasil, e este seu novo CD mostra claramente por quê. (…) De um lado estão obras de Lully e Rameau, de outro de Galuppi e, sintetizando as duas vertentes expostas, o Concerto Italiano e a Ouverture Française, de J. S. Bach em interpretações iluminadas, sempre devotadas ao conceito retórico de claritas.”
Revista “Bravo“

“Regina pertence àquela categoria especial de músicos que realmente amam a música e não fazem uma carreira convencional de rotina, conforme a maioria faz. Seu trabalho é sempre precedido de uma pesquisa musicológica, que se reflete na alta qualidade e eficácia de sua interpretação, no clima de autenticidade, de seriedade que envolve suas apresentações.”
Gilberto Mendes, “A Tribuna” de Santos

Sobre o projeto “300 Anos de 3 Mestres”
“O sucesso dos concertos do ano passado (“300 Anos de 3 Mestres”) mostrou a afinidade existente entre este tipo de projeto e a política cultural de nossa empresa. Neste ano (1986) poderíamos ter optado por editar um grande livro de arte e distribuí-lo entre nossos clientes. Mas preferimos emprestar o nosso patrocínio a esta série de concertos (“Música no Pateo”), por percebermos que, com eles, podemos atingir uma faixa bem mais ampla do público.”
Roberto Müller, então presidente da BBC–Brown Boveri, patrocinador dos dois projetos.

Sobre o recital de cravo “De Vários Tempos” em 14/11/2010
(Centro Cultural São Paulo)

“Querida amiga e companheira de lutas para a existência de um espaço para a música brasileira. Sinto-me muito gratificado por ter um trabalho meu apresentado com tanto cuidado, bom gosto e competência. Meus parabéns, e que estas oportunidades possam se repetir com mais frequência. Com todo carinho do Villani.”
Edmundo Villani-Côrtes, compositor

“Regina Schlochauer tem o dom da comunicação. Seu recital comentado flui como riacho, aprazível e iluminante, deliciosamente sereno. Ela possui aquela capacidade rara de ser sábia, eloquente sem nunca perder a espontaneidade. As participações especiais que ela generosamente incluiu no recital tornaram o evento ainda mais (se era possível) humano e acolhedor: o palco recebe e oferece… e o público não se esquece!”
Fábio Luz, pianista

Sobre o CD “De Tudo um Pouco”
“Fazer de tudo um pouco com um pouco de tudo é o mote do novo CD da pianista – também cravista, professora e pesquisadora – Regina Schlochauer. Fazer isso com essa qualidade é tudo menos pouco: ela alinhava o piano de Copland, Chopin e Schubert com pelo menos um século de música brasileira, de Nazareth e Oswald aos contemporâneos Villani e Rodrigo Vitta. Regina parte de uma visão do todo, por isso pode esmiuçar detalhes de sonoridades tão díspares. Não há nada fechado nessa visão: ao contrário, emana de seu toque um raro (e saudável) inconformismo. E só quem vê os dilemas da vida com razão e sensibilidade pode fazer ressoar tanto com tanta propriedade.”
Sidney Molina, doutor em Comunicação e Semiótica, violonista, professor

Sobre o trabalho com o Maestro Rodrigo Vitta
“Regina Schlochauer é para mim uma pianista com muita inspiração musical, técnica apurada e que entrega a alma para suas belas apresentações. Tive e tenho até hoje o prazer imenso de trabalhar com ela. Nosso primeiro encontro foi em 2002 quando ela gravou três peças para piano solo de minha autoria que estão em meu primeiro livro de partituras intitulado “Frutas Brasileiras”.
Em 2004 tive a grande felicidade de dirigi-la em um concerto no Theatro São Pedro (SP). Foi um Bach que nunca mais esqueci, de detalhes e cheio de inspirações.
Em 2007 ela estreou comigo meu primeiro “Concerto para Piano” em Montevideo, com muita competência e alta qualidade musical. Tenho certeza que é um momento inesquecível em nossas vidas.
Schlochauer faz meu trabalho para “piano solo” estar vivo, pois acredita nele e o interpreta com todo o seu talento. As minhas peças para piano já foram executadas por ela nas cidades de São Paulo, Santos e a última, ano passado (2010), em Lisboa. Sou muito grato a tudo que ela já fez e que faz pela minha música.”
Maestro Rodrigo Vitta, mestre em Comunicação e Semiótica, compositor, professor e regente